#sintra. Afinal o que ardeu?

Entre outros espaços, ardeu a Microreserva da Peninha e as Dunas Guincho-Cresmina.


Microreserva da Peninha

Microreservas são zonas com elementos naturais importantes (charcas temporárias, grutas, afloramentos rochosos com flora especializada, pequenos bosques relíquias, etc.) e que estão de alguma forma ameaçadas, mas cuja protecção e gestão é essencial à conservação de espécies e habitats. Nunca têm mais de 20 ha, e têm obrigatoriamente um plano de gestão específico.


A da Peninha, é uma zona de 10 ha, com habitats naturais de ocorrência muito restrita, muitos endemismos (endémica é uma espécie que ocorre nesse lugar e em mais nenhum no mundo) lusitânicos e endemismos de Sintra.

Unidades litológicas: estamos sobre o núcleo sienítico da serra. O sienito forma caos de blocos nos cumes mais salientes – penedo da Peninha. Na periferia, ocorrem brechas eruptivas.

O coberto vegetal está relacionado com as duas unidades litológicas.

Outro factor importante para a ocorrência de certos habitats, característicos de falésias marítimas, é a persistência de ventos marítimos carregados de sal, sob a forma de aerossol – salsugem.


Vegetação associada aos Sienitos

·  Pequenos núcleos de bosques de Carvalho-negral.

·  A maioria das populações de Cravo-romano e Cravo-de-Sintra da microrreserva

·  Parte das populações de Saramago-de-bico-curvo-de-Sintra.

·  Comunidades de arribas litorais com vegetação mediterrânica, como espécies de Limonium sp e Armeria sp endémicos.

·  Espécies com valor de conservação como Feto-dos-carvalhos e Lingua-cervinha.


Vegetação associada às Brechas eruptivas

·  Coclearia-menor e Juncus valvatus dispersos pela microrreserva.

·  Habitat de tojos de fisionomia almofadada dominados por Ulex jussiaei, endémico de Portugal continental.

·  Comunidades de outras plantas que desempenham um papel ecológico importante para esta microrreserva.


Tojais e Urzais-tojais com Ulex jussiaei

Esta espécie de tojo, é endémica do Centro Litoral de Portugal. Os tojais e urzais onde ela está presente são habitats raros e que são um refúgio de biodiversidade, albergando algumas plantas com valor de conservação, incluindo a Carvalhiça.

São comunidades permanentes e próprias de plataformas rochosas litorais. Aqui na Peninha parecem associadas à permanência de ventos marítimos, carregados de sal.


Principais ameaças

·  Pisoteio pelos visitantes

·  Fogo

·  Plantas invasoras dos géneros Acacia, Hackea e Pyracantha.

·  Eventual pastoreio por pequenos ruminantes



Sistema dunar


Dunas Guincho-Cresmina

Estas dunas são um sistema ativo e bastante instável, uma vez que os ventos fortes fazem com que as partículas de areia estejam em constante mobilização. O aumento da velocidade do vento fez com que os grãos de areia se depositem mais acima, diminuindo a área de praia. Segundo alguns estudos, esta duna avança de norte para sul, cerca de 10 metros por ano.


Sistema dunar Guincho-Guia

As dunas Guincho-Cresmina fazem parte de um complexo sistema dunar que se alonga entre o Guincho e a Guia. A areia que entra pelas praias do Guincho e da Cresmina, viaja sobre a plataforma rochosa aplanada do Cabo Raso e volta ao mar na zona entre Oitavos e a Guia. É o corredor eólico dunar Cresmina-Oitavos.


Os corredores dunares são, como está fácil de ver, estruturas geológicas frágeis, mas eles protegem os terrenos interiores da subida no nível do mar, pelo que são muito importantes.


Este sistema dunar, por ser muito dinâmico, tem habitats naturais que estão num equilíbrio ecológico bastante delicado e que obedece a um gradiente de solo pobre (areias) e a condições climatéricas adversas (ventos fortes carregados de sal).


Flora

A pressão humana fragmentou a vegetação aqui existente e alterou-a com a introdução de espécies que aqui não existiam e sem interesse ecológico para o local, algumas até invasoras. Algumas espécies nativas daqui são:

·  Estorno - Ammophila arenaria ssp. arundinacea

·  Cardo-marítimo - Eryngium maritimum

·  Miosótis-das-praias - Omphalodes kuzinskyanae

·  Cartaxo - Saxicola torquata

·  Sabina-da-praia - Juniperus turbinata

·  Raíz-divina - Armeria welwitschii


Fauna

Este corredor tem também uma fauna diversa, desde insectos, pequenos répteis, a aves e os seus predadores. Algumas das espécies que aqui podemos encontrar são:

·  Lagartixa-da-areia - Acanthodactylus erythrurus

·  Alvéola-branca - Montacilla alba

·  Pilrito-das-praias - Calidris alba

·  Víbora-cornuda - Vipera latastei