O turismo e a natureza

Parque Nacional da Peneda-Gerês




#ConhecimentoNatural

Rubrica de educação e sensibilização ambiental para a revista RaízesMag.

Volume 4 _ mar/abr 2019

Neste número da RaízesMag, dedico o meu artigo a levantar uma pontinha do véu sobre o tema "turismo e conservação da natureza".


O nosso país está repleto de microclimas. Um microclima é um clima que se faz sentir numa pequena zona, bastante diferente daquele que de faz sentir nas zonas envolventes. Tem também uma topologia algo acidentada, tendo em conta a sua dimensão.

Estes factos tornam possível encontrar uma boa variedade de ecossistemas, paisagens, monumentos naturais, fauna e flora na curta distância que separa as fronteiras de Portugal.


Com o avançar do conhecimento sobre a importância de preservar o mundo natural, criaram.se por todo o mundo zonas dedicadas a esse propósito. Elas possibilitam mais ou menos atividades humanas, consoante a importância ou sensibilidade dos elementos que se destinam a proteger. Entre estes elementos, podemos encontar não só os naturais, como os culturais e a evolução conjunta das atividades humanas e do paisagismo, da fauna e flora associados.


Em Portugal foi criada a Rede Fundamental de Conservação da Natureza, da qual faz parte a Rede Nacional de Áreas Protegidas (RNAP), que tem:

Âmbito nacional                            Âmbito regional/ Local                              Âmbito privado

- 1 Parque Nacional                        - 1 Parque Natural Regional                         - 1 Paisagem protegida

- 13 Parques Naturais                     - 2 Reservas Naturais Locais

- 9 Reservas Naturais                     - 4 Paisagens Protegidas

- 2 Paisagens protegidas                 - 2 Paisagens Protegidas Regionais              --> Pode encontrar aqui as definições e requisições de cada

- 7 Monumentos Naturais               - 5 Paisagens Protegidas Locais                    classificação: www.icnf.pt


A primeira área protegida em Portugal foi o Parque Nacional da Peneda-Gerês. É a única com este estatudo, reconhecido de forma idêntica a nível internacional desde a sua criação pela União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). É um dos últimos locais do país onde se encontram ecossistemas em estado natural, com pouca ou nenhuma influência humana, apensar de estarem integrados numa paisagem que é humanizada.


Mesmo dentro destas áreas, existem zonas de proteção, algumas que suportam mais atividades, outras mais sensíveis e, por isso, com mais restrições. Outras restrições estão presentes apenas em certas épocas, por exemplo, nos locais e temporadas de reprodução de animais em estatuto de proteção. Para fazer turismo dentro destas Áreas Protegidas, devemos seguir as regras impostas para cada uma delas, e no geral, seguir o código de conduta, que podem encontrar também no site do ICNF.


Dentro destas áreas, o tipo de turismo que se pratica é, por definição, Turismo de Natureza.

Chamamos Ecoturismo ao turismo que tem pouco impacte na natureza, traz dinheiro e outras mais valias, como troca de conhecimentos, à zona onde é praticado. Pode ou não ser praticado numa Área Protegida.


Praticado desde o século XX, existe como conceito desde 2002. Foi criado no Canadá e são este, a Nova Zelândia e a Austrália que lideram a sua evolução.


Em 1976, os canadianos criaram-no como estratégia para diminuir os acidentes nas suas grandes estradas, que atravessam o Canadá e passam por variadas florestas. O que fizeram foi criar paragens ao longo destas estradas, de forma a cortar a monotonia. Cada uma destas paragens tinha percursos pedestres pela floresta, bem indicados e com placas informativas sobre o local e a natureza. Chamaram-lhes 'ecotours'.


#Tutisfore - conhecer para proteger

#RaízesMag